Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic Innovation - Know More. Create More.Destaque Matérias EspeciasClean beauty: indústria da beleza ingressa em uma nova era

Clean beauty: indústria da beleza ingressa em uma nova era

  • Written by:

Marcas inovam em estratégias e ingredientes para superar os desafios do ideal de beleza limpa

Por Estela Mendonça 

A indústria da beleza vive uma jornada sem volta, procurando deixar para trás o que não vai ter lugar num mundo – mesmo que ainda idealizado – onde a grande maioria dos consumidores vai dar um basta ao consumo de produtos não éticos ou perigosos para as pessoas e o planeta.

“A busca no mercado de beleza está cada vez maior por produtos cosméticos autênticos e naturais, que promovam a beleza limpa. Devem ser produtos que encantam sem o uso de truques ou disfarces, mas que entreguem eficácia e segurança para o consumidor e o planeta”, avalia Eliane Dornellas, responsável técnica de P&D da Colormix Especialidades.

Para a especialista, quanto mais próximo da natureza ou menos processado for um ingrediente cosmético, mais integral ele será. Quanto mais simples for o processo para a sua obtenção e quanto menos consumo de água ele requerer para sua produção e uso, melhor será a sua avaliação pelo consumidor que busca produtos sob o entendimento clean.

“O movimento clean beauty preocupa-se principalmente em desenvolver produtos que não apresentem riscos à saúde e ao meio ambiente, priorizando ingredientes não tóxicos, isentos de matérias-primas de origem animal e de testes em animais, responsáveis socialmente e ambientalmente”, reforça Ernani Lezier, analista de P&D da BIOTAE, justificando o destaque que os ingredientes de origem natural vêm assumindo em formulações clean beauty, principalmente os extratos botânicos, por conta de seus benefícios multifuncionais.

Amanda Omodei, diretora de marketing da Focus Química

Como não há padrão, para Amanda Omodei, diretora de marketing da Focus Química, “beleza não tóxica” seria uma boa definição para clean beauty.  “O foco não é se o ingrediente é vegano, vegetal, natural, verde ou orgânico, mas sim o quanto de toxinas é eliminado pelos produtos de beleza produzidos na indústria cosmética”.
Amanda acredita que praticar a beleza limpa é listar os ingredientes de forma transparente e rotulá-los de acordo, não promover benefícios que o produto não é capaz de entregar, ser seguro, não ser tóxico e não necessariamente ser de origem 100% natural e/ou orgânica. “Um ingrediente 100% natural pode ser considerado não limpo, como também um ingrediente sintético não tóxico. Comprovando-se que ele não promove efeitos nocivos, poderá ser incorporado em produtos de beleza limpa. Outros parâmetros importantes para o consumidor e o meio ambiente também estão no foco para os novos desenvolvimentos. Assim, não por coincidência que cosméticos naturais ou orgânicos, veganos e biodegradáveis têm maior possibilidade de serem também limpos”.

Rafaella Tomazini Candido, analista de marketing técnico de personal care da Citróleo

Rafaella Tomazini Candido, analista de marketing técnico de personal care da Citróleo, empresa brasileira que oferece ativos 100% naturais e opera na fabricação de materiais brutos sem refino para os setores de personal, skin e hair care, destaca que, embora não exista uma padronização do que significa clean beauty, se o produto ou matéria-prima não possui ingredientes tóxicos e preza pela transparência ao consumidor, então ele já pode ser incluído nessa definição. “E não faltam dados consistentes para atestar o sucesso dessa nova maneira de consumir. A NPD reportou que o mercado de clean beauty cresceu 42% de 2017 a 2018. Ainda de acordo com a Mintel, 57% dos compradores avaliam os valores éticos das empresas, de modo que isso pode se tornar um fator de boicote. Nesse sentido, a agência Disko comprovou que 7 em cada 10 consumidores millennials estão dispostos a gastar mais em produtos com posicionamento ético e, inclusive, gastam 73% mais em produtos de origem transparente”, cita.

Nova onda

Evidenciando esses dados, vários estudos, pesquisas e análises pelo mundo sustentam essa grande mudança em curso na indústria da beleza. De acordo com relatório Clean Beauty – US, lançado em dezembro do ano passado pela Mintel, entre 2016 e 2019, as menções de #cleanbeauty nas mídias sociais cresceram 623% nos EUA. A analista Olivia Guinaugh avalia que o movimento natural continua a moldar a indústria de beleza, especialmente devido a percepções de segurança.

Ela destaca a onda de varejistas e marcas que adotando padrões de beleza limpos, levando a uma mudança do natural para o limpo. “Além disso, os consumidores estão cada vez mais conscientes do impacto que sua demanda por ingredientes naturais tem no planeta e estão buscando maneiras de reduzir sua pegada de carbono, tornando cada vez mais importante que as marcas tenham iniciativas em torno do comércio justo e do fornecimento ético”.

Outra pesquisa da Mintel, a GNPD – Global New Products Database, mostrou que entre 2014 e 2019, os produtos lançados com reivindicações isentas, éticas e ambientais ou naturais cresceram 69% por cento em beleza e cuidados pessoais.

Já o relatório da Nielsen, lançado no ano passado, mostrou que 42% dos consumidores brasileiros estão mudando seus hábitos de consumo para reduzir seu impacto no meio ambiente e 30% dos entrevistados estão atentos aos ingredientes que compõem os produtos. Mais conscientes também, 58% não compram produtos de empresas que realizam testes em animais e 65% não compram de empresas associadas ao trabalho escravo.

Indie brands

A Factor-Kline, empresa de consultoria e inteligência de negócios, divulgou no final do ano passado um estudo realizado a partir do mapeamento de 60 indie brands brasileiras, que revelou que elas cresceram 40% em média em 2018, muito acima do total do mercado brasileiro de cosméticos, que foi 2,7%.  Segundo o levantamento, 86% delas possuem um portfólio totalmente vegano, 74% totalmente natural e 23% apenas produtos orgânicos.

Para Juliana Bondança, gerente de projetos da Factor-Kline, embora já seja uma tendência bem estabelecida na Europa e nos Estados Unidos, a busca por um consumo mais ético e sustentável está apenas começando no Brasil. Geralmente lançados por empresas novas e locais, esses produtos são baseados em tendências internacionais, seguindo a demanda das gerações Y e Z, que são altamente conectadas e comprometidas com o meio ambiente.

“Os principais tipos de produtos que seguem essa tendência são naturais e veganos. Em ambos os casos, há uma crescente demanda por certificações. Essa tendência também está associada à ideia de bem-estar, ou seja, o consumidor se preocupa mais com os ingredientes presentes na formulação em relação ao seu efeito na saúde”. Em relação ao mercado de ativos, de acordo com a gerente da Factor-kline, essa tendência se reflete em maior demanda por ativos baseados em plantas e busca de processos de extração e manipulação mais limpos e sustentáveis.

Empresa referência

No recente estudo Global Beauty & Personal Care Trends 2030, a Mintel ressaltou que a indústria de clean beauty se transformará, gradativamente, na própria indústria de beleza, apontando como uma das empresas referência a Aprinnova, que promove o conceito globalmente com a campanha #TheFutureOfClean.

A Aprinnova, joint-venture da Amyris e do Nikkol Group, produz o Neossance® Squalane da fermentação da cana-de-açúcar. No mercado desde 2012, se tornou líder no suprimento de Squalane, fornecendo para mais de 3 mil marcas globalmente. Abundante, sustentável e econômico, o Neossance® Squalane ainda oferece, de acordo com a empresa, melhor pureza, menor odor e maior consistência, se comparado ao mesmo produto derivado de oliva. Distribuído no Brasil pela Dinaco, o ingrediente é fruto de economia circular e de fermentação biológica, com certificações ECOCERT e Bio-based pelo USDA.

“Nós manufaturamos ingredientes usando a tecnologia patenteada pela Amyris para converter cana-de-açúcar renovável em farneseno e outras moléculas customizadas, produzindo uma gama de produtos de alto valor, puros e estáveis para nossos consumidores. Esse processo não contribui para desmatamento, absorve CO2 e reduz a emissão de gases de efeito estufa em 60% quando comparado com processos petroquímicos”, explica John Toner, diretor de marketing e inovação da Aprinnova, sediado na Califórnia.

Toner explica que regulamentação emergente, continuidade de negócios e demandas dos consumidores se alinharam em torno do conceito clean beauty e seus princípios de segurança, transparência, performance e sustentabilidade. Segundo ele, na Aprinnova, os ingredientes devem sempre contribuir para alcançar altos padrões de segurança, como a verificação EWG para produtos finais; ter cadeias de fornecimentos transparentes e documentação de apoio completa; ser efetivos, focados em resultado, beneficiadores e com a mais alta pureza; e ser de origem sustentável e renovável.

John Toner, diretor de marketing e inovação da Aprinnova

“Hoje o consumidor millennial inicia sua jornada com medo de químicos tóxicos e desconfiança das marcas. Os consumidores então buscam transparência para ter acesso aos ingredientes dos produtos que compram. Em seguida, passam a demandar sustentabilidade e, por fim, acabam dando preferência à clean beauty. Para a Aprinnova, produtos clean começam com ingredientes clean. Esses critérios são um padrão para ajudar marcas a lançar produtos genuinamente clean em qualquer categoria”, conclui John Toner.

Hair care limpo

A categoria de hair care, além de ser uma das mais valorizadas pelas consumidoras brasileiras, é também uma das mais impactadas pelo movimento clean beauty. “O maior desafio é inovar para oferecer novos produtos que realmente sejam eficazes e, literalmente, façam a cabeça dessas exigentes consumidoras. A tríade natural-sustentável-seguro é o fator principal para atrair a atenção do público e impulsionar o interesse de compra”, diz Rafaella, da Citróleo, que oferece uma alternativa natural e sustentável com eficácia comprovada para tratamento e reconstrução capilar, o AlphaImprove 4D Hair,  composto pelos óleos amazônicos Babaçu e Pracaxi, que entregam nutrição, performance e sensorial, e é potencializado pela ação de anti-irritante e anti-inflamatória do Alpha Bisabolol natural e orgânico, derivado da candeia.

O AlphaImprove 4D Hair já integra muitos lançamentos nacionais de condicionadores de tratamento profundo, além de pós descolorantes para cabelos cacheados. Em nível global, o ingrediente começa a conquistar o prestigiado e ascendente mercado asiático de beleza natural, como o condicionador Revive, da marca tailandesa Pañpuri, referência em Clean Beauty.

Condicionador feito com AlphaImprove 4D Hair da marca tailandesa Pañpuri

“Essas matérias-primas são oriundas de comunidades mineiras e paraenses assistidas pela empresa, o que garante total rastreabilidade, garantia de origem e comprometimento socioambiental. Elas ainda possuem aprovação COSMOS, gerando ainda mais confiança e transparência”, informa a analista, acrescentando que o AlphaImprove 4D Hair é 100% natural e vegano, não possui conservantes, aditivos químicos ou testes em animais. O ativo foi dermatologicamente testado e não induziu irritação cutânea e sensibilização durante o estudo, gerando um perfil seguro de uso para longo prazo.

Segundo Rafaela, por ser multifuncional, o AlphaImprove 4D Hair age em diferentes dimensões no tratamento dos fios danificados, desde a raiz até as pontas, garantindo redensificação da fibra capilar, redução de volume e frizz, proteção térmica, controle de cachos e aumento de substantividade. Entre os testes realizados com produto, destaca que ele foi efetivo na manutenção/redução do volume e do frizz, com a durabilidade de até um mês de uso e promoveu um aumento do brilho e hidratação em torno de 20%. O ativo, que pode ser usado em qualquer tipo de cabelo, ainda possui eficácia comprovada na sustentação dos cachos de 16% por até 2 horas. Além disso, permite a redução na força de pentear tanto nos cabelos secos (29%) como nos cabelos molhados (20%). “Essa alta performance se estende também ao cabelo exposto a altas temperaturas, uma vez deixou os cabelos 11% mais fortes mesmo após aplicação de chapinha”.

A avaliação de voluntários que testaram o produto também foi positiva: 94% notaram os fios mais macios, 72% consideraram o produto eficaz para proteger o couro cabeludo como protetor térmico, 88% gostaram do produto e 81% o comprariam.

Microscopia Eletrônica de Varredura mostra a camada cuticular do cabelo tratado com shampoo padrão e com AlphaImprove 4D Hair.

Rastreabilidade

Também alinhada a essa transformação na indústria da beleza, a BIOTAE apresenta a linha de extratos Bio Vegan, que conta com diversas opções de fitoativos para potencializar as formulações de beleza limpa. “Eles são produzidos com tecnologia que não agride o meio ambiente, a partir de matérias-primas de origem natural, com rastreabilidade e responsabilidade social e ambiental, além de serem isentos de parabenos, um dos principais ingredientes a se evitar para uma formulação limpa, sendo utilizado um sistema conservante bem aceito e mais seguro ao consumidor e meio ambiente”, ressalta Lezier, destacando que os extratos da linha Bio Vegan, agregam benefícios ao produto final, ao passo que garante formulações mais responsáveis e benéficas ao consumidor e o planeta.

Segundo Lezier, um dos carros-chefes de vendas é o extrato de Matcha, um ingrediente multifuncional que pode compor diversas formulações, desde máscaras faciais a hidratantes corporais tonificantes. Extraído das folhas da planta Camellia sinensis, cultivadas à sombra e colhidas ainda bastante jovens, apresenta uma composição complexa de fitocomponentes.

Pela presença de polifenóis e metilxantinas, o extrato de Matcha exerce importante atividade antioxidante, além de ser dermoprotetor e anti-inflamatório, podendo ser aplicado em produtos com benefícios dos mais variados, como detox, antipoluição e antiacne. As metilxantinas também contribuem para tonificar a pele, o que indica sua aplicação em hidratantes e géis anticelulite.

Linha de Extratos Botânicos Glicerinados da Biotae

Outro ingrediente do portfólio da BIOTAE que vem ganhando destaque é o extrato dos frutos de Schinus sp., um componente chave em formulações de produtos para limpeza de pele. “As espécies do gênero Schinus são, em sua maioria, nativas da América do Sul, sendo conhecidas e empregadas tradicionalmente em diversos países sul-americanos. Devido à complexa composição dos frutos, que possuem fitocomponentes, como triterpenos e biflavononas, o extrato de Schinus sp. apresenta atividade antibacteriana frente a diferentes microrganismos causadores de infecções de pele”, explica Lezier, acrescentando que ele também apresenta ação anti-inflamatória e antioxidante, mostrando-se  um ingrediente interessante para aplicações em loções antiacne, bem como séruns antipoluição e máscaras faciais adstringentes.

Ingredientes seguros

A Colormix Especialidades, atenta a essa demanda no mercado e dos consumidores por produtos mais transparentes e seguros, decidiu expandir seu portfólio e incluiu ingredientes funcionais seguros e sustentáveis, muitos deles com certificações ecológicas, como a ECOCERT/COSMOS da Europa, que classifica uma matéria-prima ou um produto final como orgânico ou natural, baseada em um conjunto de critérios e claims de eficácia de ingredientes, embasado por estudos clínicos.

Eliane destaca que, além do fornecimento das especialidades cosméticas, alinhadas com o propósito de clean beauty, a Colormix Especialidades aposta na entrega de um conjunto de soluções que engloba uma equipe comercial alinhada com essa demanda e treinada tecnicamente e um time criativo de P&D pronto a atender as necessidades de todo cliente que deseja produzir esse tipo de cosmético, oferecendo todo suporte técnico e sugestões de formulações, que resultam em cosméticos integrais, autênticos, funcionais e com texturas que surpreendem.

“A tecnologia que não agride é o ponto forte desse tema”, afirma Eliane, apontando como uma das novidades da Colormix Especialidades a linha de corantes naturais hidrossolúveis e estabilizados produzidos pela empresa brasileira BIOTAE.  Além de colorir naturalmente, esses corantes entregam de forma integral as propriedades fitoterápicas da sua origem, nas opções Matcha (Chá verde), Pitaya, Frutas vermelhas, Beterraba, Hibiscus, Bluebarry, Suco verde e Jabuticaba. “Dessa mesma empresa temos também o lançamento da linha de Leites Vegetais de Arroz, Amêndoa, Coco, Castanha do Brasil e Nhame. É uma proposta saudável, leve e muito nutritiva, que vem de encontro com esta demanda Clean Beauty”.

Outra novidade tecnológica da Colormix Especialidades é a linha NIOSOME, da empresa italiana Naturalis, um sistema único de entrega de ativos, através de vesículas com bicamadas para o encapsulamento de ativos com polaridades diferentes. “O NIO ACTIVE, uma das versões deste tipo de ativo, veicula Óleo de Romã, Extrato de Levedura (probiótico) e Ribonucleotídeos. O resultado é um ativo de ação prolongada, que auxilia o tratamento de sinais causados pelos efeitos nocivos do meio ambiente, regenera e hidrata a pele agredida”, explica. O ingrediente é indicado para cremes de tratamento intensivo para nutrição e cuidados pós-sol.

NIO ACTIVE regenera a pele dos danos e hidrata

“Além dos ingredientes funcionais, a Colormix Especialidades aposta em bases cosméticas diferenciadas, com texturas modernas e que entregam resultados que surpreendem”, destaca Eliane, citando outros exemplos, como tensoativos sem sulfato à base de aminoácidos ou óleo de oliva e emulsificantes verdes, que podem resultar emulsões com toque sofisticado e leve produzidas a frio, com baixo consumo energético em seu processo produtivo.

A empresa também oferece emolientes, gomas, aromas, fragrâncias e conservantes naturais. “É nosso propósito colaborar com soluções de uma química verde, que protege, entende e atende as diferenças de alegações de marketing falsas ou enganosas”.

Alternativa ao silicone

Amanda, da Focus Química, destaca ingredientes de suas representadas que atendem a tendência clean beauty. Um deles é o DUB OE HP (ethyl oleate), da empresa francesa Stearinerie Dubois. Trata-se de um éster 100% vegetal e biodegradável, vegano, GMO-free e livre dos agentes tóxicos conhecidos, com isenção dos principais alérgenos, impurezas, contaminantes e agentes irritantes. Ele foi criado para ser a alternativa vegetal ao cyclopentasiloxane, silicone volátil de origem petroquímica. “Através de extenso estudo das propriedades físico-químicas e sensoriais, a Stearinerie Dubois encontrou, dentro de 150 possibilidades, o éster que, por matriz de proximidade (coeficiente de Pearson), mais se aproximava do silicone volátil”.

De acordo com o índice de origem natural da ISO 16128, o DUB OE HP possui NOI igual a 1, é 100% biodegradável em 28 dias, e possui certificação COSMOS. Em comparação de performance em diversos parâmetros sensoriais entre o DUB OE HP e o Cyclopentasiloxane, é possível perceber a semelhança entre ambos (abaixo).  Outro ponto favorável, é que esse produto não possui volatilidade, o que permite aquecê-lo em temperaturas até 100º C sem degradá-lo. “O DUB OE HP também está em conformidade com o RSPO-MB, sendo a única versão disponível deste produto para venda. A Focus Química já é membro da RSPO para venda e distribuição de materiais certificados pelo RSPO”.

Performance do DUB OE HP é semelhante ao Cyclopentasiloxane

É destaque também da Focus Química o novo ativo da representada Lessonia, chamado C+eRAMIDE,  ceramida de origem vegetal, extraída tecnologicamente da semente do trigo, desenvolvido para reparar, proteger e hidratar pele e cabelo. “O ativo entrega todas as características de Clean Beauty, pois não possui nenhum componente tóxico e alergênico conhecido, é de origem 100% natural, vegano, glúten e GMO-free e certificado COSMOS”, ressalta Amanda, que acrescenta que o estudo clínico in vivo evidenciou, com apenas 0,3%, o aumento da hidratação da pele em 75,8% em uma hora, além de restabelecer a função de barreira da pele em apenas 7 dias, pela significante redução de TEWL (perda de água transepidermica) na pele irritada, o que destaca sua função nutritiva e protetora.

Da representada da DSM, a novidade é o ativo Alpaflor® Edelweiss, 100% orgânico e que atende todos os requisitos de clean beauty. “O grande destaque fica por conta de toda cadeia produtiva dos ativos da linha Alpaflor® por ser 100% rastreável, além da relação direta da DSM com os agricultores e cooperativas locais para obter a matéria-prima. Todos os ingredientes do portfólio ALPAFLOR® são orgânicos, com certificados ECOCERT, COSMOS e NATRUE”.

Segundo Amanda, o ingrediente aumenta a resistência da pele a fatores de estresse, como os raios UV, o que ajuda a preservar o equilíbrio natural da pele e reduzir a sensibilidade. “O portfólio ALPAFLOR® da DSM oferece um conjunto completo de bioativos de alto desempenho extraídos de plantas raras que são cultivadas de forma orgânica em um ambiente isolado no alto dos Alpes. A extração da matéria-prima é sustentável e feita com o uso de energia renovável”.

Gigantes aderem

Os investimentos das gigantes do setor de higiene e beleza em aquisições de empresas posicionadas como clean beauty vem se tornando cada vez mais comum. No ano passado, por exemplo, a Shiseido comprou a marca a Drunk Elephant e a Unilever adquiriu a Tacha. No início de 2020, foi a vez da  Beiersdorf comprar a STOP THE WATER WHILE USING ME!, com o objetivo de intensificar o impacto de cuidados com a pele sustentáveis ​​e promover seu compromisso com a proteção do clima e dos recursos.

Drunk Elephant, marca de clean beauty adquirida pela Shiseido

Em lançamentos, as grandes mostram que também estão focadas em clean beauty. A L’Oréal Professionnel lançou  Source Essentielle,  linha de cuidados com os cabelos profissional, vendida exclusivamente em salões, inclui shampoos e condicionadores. Os produtos, que são veganos, sem silicone, sem parabenos e sem sulfato, foram declaradamente criados com 80% a 100% de ingredientes naturais.

Source Essentielle é aposta da L’Oréal Prefessionnel

Com o novo PhotoReady Prime Plus Perfecting + Smoothing Primer,  a Revlon afirma ter lançado produto de beleza em massa aprovado pelo Environmental Working Group (EWG), uma organização sem fins lucrativos que avalia rigorosamente os produtos de cuidados pessoais para capacitar os compradores a fazer as melhores escolhas. “A Revlon tem orgulho de lançar o primeiro cosmético verificado por EWG disponível globalmente para os consumidores em lojas de varejo de massa”, disse a presidente e CEO da Revlon, Debra G. Perelman, em um comunicado. “Mais do que apenas comprar de maneira diferente, os consumidores querem garantias adicionais sobre os produtos que compram e seus ingredientes”.

Aproveitando a tendência de beleza limpa, a Revlon lançou recentemente também uma nova linha de coloração permanente vegana, a Total Color.  O produto é formulado com óleos vegetais e é livre de amônia, parabenos, sulfatos, silicones, óleo mineral, ftalatos e glúten.

Prime Plus Perfecting + Smoothing Primer e Revlon Total Color

A Unilever e a Sundial Brands anunciaram o lançamento de uma nova linha de produtos de tratamento de cabelos cacheados para mulheres multiculturais da Gen Z. Chamada Emerge, a linha foi projetada para os ‘naturais da próxima geração’ de hoje. São seis produtos para facilitar o penteado natural a um preço acessível e está posicionada na esfera da clean beauty.

Emerge, nova marca da Unilever e da Sundial Brands

A marca Covergil, da Coty, também embarcou nessa onda e acaba de apresentar uma nova linha clean beauty de maquiagem, a Clean Fresh, anunciada como vegana e isenta de ingredientes controversos, como formaldeídos, ftalatos, parabenos, sulfatos e talco.

Covergil, da Coty

Nasceram clean

Lançada em 2015, a Biossance é pioneira em beleza sustentável por meio da biotecnologia e é conhecida por inovar o primeiro esqualano 100% vegetal. O sucesso inicial da marca levou a uma rápida expansão além dos Estados Unidos para o Canadá, Brasil, México, Sudeste Asiático, Austrália, Nova Zelândia e no Reino Unido. O mais recente lançamento da marca no Brasil é o Lip Balm Vegano de Rosas com Esqualano, que promete lábios mais volumosos e preenchidos em 14 dias de uso.  A fórmula contém ácido hialurônico, ceramidas, alga wakame, rosa absoluta e esqualano derivado de cana-de-açúcar.

Lip Balm Vegano de Rosas com Esqualano, da Biossance

Por aqui, muitas empresas vem sendo criadas engajadas no movimento clean beauty. A Quintal Dermocosméticos é uma delas e foi fundada em 2016 por  Giulio Peron, filho de Lena Peron, que em 2004 criou no Paraná a Feito Brasil, com produção 100% feita à mão. As duas marcas buscam fornecedores certificados e com cadeia produtiva rastreável, tanto no Brasil quanto no exterior.

Quintal Dermocosméticos

Clean Beauty na FCE Cosmetique

A FCE Cosmetique, que está completando 25 anos, prepara uma edição histórica que, segundo Nadja Bendo, head das feiras do núcleo Life Science da NürnbergMesse, terá toda a sua programação, ações e comunicação sob o guarda-chuva temático Clean Beauty.
“Realizamos uma pesquisa de mercado que confirmou que esta é a grande tendência na indústria da beleza”, conta, acrescentando que, a partir dessa plataforma, serão desenvolvidos os temas green beauty, microbioma e biomimética. “Cada um deles norteará um dia das apresentações das empresas fornecedoras de ingredientes, que também concorerrão ao Innovation Challenge, concedido aos ingredientes mais inovadores por votação dos profissionais de P&D das fabricantes de cosméticos”. A 25ª FCE Cosmetique será realizada de 02 a 04 de junho, em São Paulo.

O que vem por aí

A provedora de pesquisas de mercado Euromonitor Internacional, no estudo The Evolution of Beauty: From Green to Clean to Conscious, lançado em novembro de 2019, avalia que, assim como a beleza verde, a beleza limpa é um alvo em movimento, e as marcas adaptam as definições às suas próprias ofertas. “Controversamente, grande parte do discurso da beleza limpa demoniza grupos inteiros de ingredientes, e as marcas foram acusadas de empregar táticas assustadoras”.

Por isso, a Euromonitor acredita que beauty conscious (beleza consciente) será a próxima fronteira. “Se a clean beauty criou um nicho com a venda de produtos com base no abate de grupos inteiros de ingredientes, a beauty conscious adota uma abordagem mais ponderada e direcionada. O consumidor está se familiarizando com suas sensibilidades individuais e adotará uma abordagem caso a caso para tratar suas preocupações com a pele”, diz o estudo.

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros