Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic Innovation - Know More. Create More.Artigos TécnicosEngenharia da matriz extracelular e proteção contra luz azul como a melhor solução antienvelhecimento

Engenharia da matriz extracelular e proteção contra luz azul como a melhor solução antienvelhecimento

  • Written by:

Os oceanos e seus ecossistemas interconectados mantêm uma ampla variedade de compostos bioativos potenciais fornecidos por espécies únicas desde as profundezas do oceano e da brisa do mar, até os acnidários marinhos e plantas halófitas de microbiomas terrestres.

Estima-se que apenas 5% dos oceanos foi explorado. Dentre eles, o Ártico é um dos oceanos com potencial mais inexplorado para a descoberta de microrganismos marinhos extraordinários, com novas aplicações em campos biotecnológicos, como remédios ou cosméticos.

Em busca de novos ingredientes ativos, um navio de pesquisa, em colaboração com diferentes institutos, realizou uma expedição científica no Ártico através do Atlântico Norte e da Bacia do Ártico. Perto das águas do Ártico da Groenlândia, uma amostra de água do mar foi coletada a 2.700 m de profundidade e 2,98ºC, na qual a cepa de Pseudoalteromonas sp. foi isolada e posteriormente caracterizada. Este Pseudoalteromonas sp. secreta polissacarídeos (exopolissacarídeos) e proteoglicanos com propriedades e características químicas variadas. Eles usam essas substâncias para se protegerem de agressões externas como: alta salinidade, baixa temperatura e alta pressão, entre outras. De fato, os exopolissacarídeos (EPS) podem ter uma capacidade de formação de filme, que é uma alta demanda no mercado de cosméticos.

Assim como os ecossistemas marinhos estão interligados entre si e se sustentam estrutural e funcionalmente, a derme é amplamente composta por uma matriz extracelular (MEC) densa, rica em colágeno e com componentes interconectados. A MEC pode ser definida como o componente não celular presente em todos os tecidos que sustentam a camada epidérmica. A MEC não apenas fornece à pele um suporte estrutural, mas também influencia a atividade celular e as respostas necessárias para a morfogênese, migração, diferenciação e homeostase do tecido. Esta matriz é uma estrutura altamente dinâmica que está sendo constantemente remodelada para renovar seus componentes e proporcionar à pele uma aparência mais firme, flexível e mais jovem. A matriz da pele é composta principalmente de polissacarídeos (hialuronano), proteoglicanos (sulfato de heparano e condroitina) e proteínas (colágeno e elastina). À medida que envelhecemos, os componentes da MEC tendem a diminuir e a serem mais degradados, comprometendo a organização, a integridade e a flexibilidade da estrutura da pele. Ainda, os componentes da MEC, como hialuronano, sulfato de heparano e elastina, desempenham um papel importante nas propriedades viscoelásticas da pele para combater os estressores mecânicos. Curiosamente, o sulfato de heparano tem um papel fundamental no crescimento celular, migração, formação de fibras de colágeno e adesão celular associadas à cicatrização de feridas.

À medida que envelhecemos, as células da pele perdem sua ligação célula a célula, a qual as mantém firmemente unidas, devido a uma diminuição nos níveis de proteínas da junção que comprometem a adesão célula-célula e a função de barreira. Desmossomos são junções celulares que se diferenciam de outras adesões celulares pois, são capazes de se trancar em um estado fortemente adesivo e altamente resistente à estressores, recentemente descrito como Hiper-adesão. À medida que os queratinócitos se movem para cima da camada basal em direção às camadas cornificadas e passam pela diferenciação e proliferação, eles reorganizam suas junções adesivas e o citoesqueleto. As desmogleínas são glicoproteínas transmembranares essenciais da superfamília de caderinas encontradas nos desmossomos e distribuídas pela epiderme. A isoformada Desmoglein-3 (Dsg-3) é responsável pela integridade estrutural nas camadas epidérmicas inferiores, estrato basal e espinhoso, necessários para uma forte coesão do núcleo dos queratinócitos.

Hoje estamos submersos em um mundo digital e tecnológico. Os dispositivos eletrônicos se tornaram uma extensão de nosso eu social e profissional e, desta forma, estamos constante e altamente expostos a emissões eletrônicas. Uma média de 7 horas diárias é gasta por um adulto interagindo com o mundo através de dispositivos digitais. O uso constante desses dispositivos expõe a pele à poluição digital ou ondas de luz azul visível de alta energia (HEV-BL), que penetram na pele atingindo camadas profundas e causando sinais precoces de envelhecimento, como rugas, perda de hidratação, elasticidade e opacidade. A luz azul ou a poluição digital, aumentam o conhecido marcador da metaloprotease de estresse oxidativo (MMP1), uma colagenase responsável pela degradação do colágeno fibrilar dérmico I, que compromete a integridade estrutural da MEC.

Da expedição ao Ártico em busca de novos compostos, surgiu um ingrediente ativo, o Årctalis ™ (INCI name: extrato de fermento de Pseudoalteromonas). O Årctalis ™ demonstrou em testes in vitro e ex vivo aumentar os principais componentes da MEC, reforçando a integridade estrutural e a flexibilidade da pele, enquanto protege a pele da poluição digital (luz azul). Além disso, o Årctalis ™ demonstrou restaurar a hidratação e a luminosidade da pele, sendo um ingrediente ativo marinho exclusivo, com um excelente efeito de suavização e firmeza das rugas.

O Arctalis ™ (INCI: Extrato de Fermento de Pseudoalteromonas) é um ingrediente ativo da LipoTrue, listado pela IECIC, aprovado COSMOS pela ECOCERT GREENLIFE, em conformidade com o padrão COSMOS e com certificação Halal.

Para mais informações, entre em contato com [email protected] ou visite nossa página.

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros