Visit us on TwitterVisit us on FacebookVisit us on LinkedIn
Cosmetic Innovation - Know More. Create More.Artigos TécnicosMICROBIOX – A caspa além da oleosidade!

MICROBIOX – A caspa além da oleosidade!

  • Written by:

A caspa é uma desordem do couro cabeludo que resulta na ruptura da coesão dos corneócitos. É considerada uma patologia de etiologia multifatorial, sendo influenciada por fatores ambientais, pela suscetibilidade individual, e pelo desequilíbrio da microbiota do couro cabeludo.1

Fatores antes negligenciados na etiologia da caspa foram recentemente associados à essa patologia. Estudos demonstram que uma rotina estressante tem impacto negativo na coesão da barreira cutânea, na secreção sebácea e no sistema imunológico, tendo como consequência a exacerbação da resposta inflamatória cutânea e o agravamento desta condição.2

Além disso, estudo publicado em 2020, demonstrou que os Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos, encontrados na poluição física, podem contribuir para modificações na microbiota cutânea, favorecendo a proliferação da Malassezia furfur, levedura envolvida com o agravamento da caspa.3 Esses hidrocarbonetos são produtos da queima de combustíveis orgânicos, portanto, são comumente emitidos por indústrias e automóveis. 4

A multicausalidade da caspa explica a importância comercial do tema, visto que a patologia já acomete mais de 50% da população mundial e movimenta cerca de U$300 milhões anualmente com produtos voltados ao seu controle.5

Esquematização da Caspa

Majoritariamente, as estratégias adotadas para o controle da caspa envolvem a modulação da produção de sebo pelas glândulas sebáceas com consequente reequilíbrio da microbiota cutânea, controlando a proliferação de microrganismos.6

Dentro desse contexto, a COBIOSA, empresa espanhola com mais de 45 anos de experiência em soluções cosméticas, desenvolveu o Microbiox, ativo distribuído pela Galena no Brasil.

Microbiox é um ativo composto por Disetionato de Hexamidina, um agente antimicrobiano com amplo espectro de ação que atua diretamente contra bactérias gram-positivas e gram-negativas, protozoários, vírus e fungos, como, por exemplo, a Malassezia furfur.

Estudo com duração de seis semanas, realizado com voluntários com caspa e couro cabeludo oleoso, avaliou a eficácia da aplicação diária de um shampoo contendo 1,25% de Microbiox quando comparado a uma formulação de Piritionato de Zinco (1%), referência no tratamento dessa desordem do couro cabeludo. 7

Para mais de 80% dos voluntários que utilizaram a formulação com Microbiox, o efeito anticaspa foi perceptível durante todo o estudo e se manteve após duas semanas do tratamento para mais de 70% dos participantes.

O uso da formulação com Microbiox (1,25%) demonstrou:

♦ Significativo efeito anticaspa desde a primeira semana de tratamento;

♦ Melhora do efeito anticaspa até a quarta semana de tratamento;

♦ Efeito anticaspa equivalente ao produto comparado;

♦ Microbiox teve efeito anticaspa perceptível por mais tempo, inclusive após o tratamento, frente ao produto comparado.

O ressecamento dos fios de cabelo é uma queixa comum de quem faz uso de formulações contendo Piritionato de Zinco. Essa questão pode ser contornada com a utilização de formulações contendo Microbiox.

Devido sua atividade antimicrobiana de amplo espectro, Microbiox, além de contribuir para o controle da caspa, pode também ser utilizado no controle da acne, já que participa da inibição do crescimento de bactérias associadas à essa desordem cutânea, como por exemplo a Propionibacterium acnes.

Para saber mais sobre o Microbiox e demais produtos do portfólio da COBIOSA no Brasil, entre em contato com a Divisão Industrial da Galena.

Referências:

1 – MISERY, L et al. Epidemiology of Dandruff, Scalp Pruritus and Associated Symptoms. Acta Dermato Venereologica, [S.L.], v. 93, n. 1, p. 80-81, nov. 2013. Acta Dermato-Venereologica.

2- Rudramurthy, Shivaprakash M et al. “Association of Malassezia species with dandruff.” The Indian journal of medical research vol. 139,3 (2014) 431-7.

3- LEUNG M. H. Y. et al. Changes of the human skin microbiota upon chronic exposure to polycyclic aromatic hydrocarbon pollutants. Microbiome, [S.L.], v. 8, n. 1, p. 1-16, 26 jun. 2020. Springer Science and Business Media LLC.

4 – Abdel-Shafy, Hussein I., e Mona S. M. Mansour. “A Review on Polycyclic Aromatic Hydrocarbons: Source, Environmental Impact, Effect on Human Health and Remediation”. Egyptian Journal of Petroleum, vol. 25, no 1, março de 2016, p. 107–23.

5- RANGANATHAN, S; MUKHOPADHYAY, T. Dandruff: the most commercially exploited skin disease. Indian Journal Of Dermatology, [S.L.], v. 55, n. 2, p. 130-142, jun. 2010. Medknow.

6 – SAUNDERS, C. W. et al. Malassezia Fungi Are Specialized to Live on Skin and Associated with Dandruff, Eczema, and Other Skin Diseases. Plos Pathogens, [S.L.], v. 8, n. 6, p. 1-32, 21 jun. 2012. Public Library of Science (PLoS).

7 – Schwartz, J. Zinc Pyrithione: A Topical Antimicrobial With Complex Pharmaceutics. Journal of drugs in dermatology: JDD.

fsmip_meta_s_enable_floating:
yes
fsmip_meta_s_enable_post_icons:
yes

Comments are closed.

Parceiros 2021

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros

Animated Social Media Icons Powered by Acurax Wordpress Development Company