Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Cosmetic Innovation - Know More. Create More.Ciência e Tecnologia InternacionalPesquisadores descobrem uma maneira muito mais suave de diagnosticar eczema e psoríase

Pesquisadores descobrem uma maneira muito mais suave de diagnosticar eczema e psoríase

  • Written by:

O eczema e a psoríase, embora muitas vezes ligados, apresentam leves nuances que dificultam o seu diagnóstico por um simples acontecimento repetido (sem mencionar que o eczema e a psoríase podem parecer totalmente diferentes em pacientes diferentes).

Tanto é assim que geralmente é necessária uma biópsia de pele para descobrir: um médico remove um pedaço de pele infectada para fazer a checagem ao microscópio; dessa forma, é possível verificar as pequenas diferenças em nível celular.

E sim, remover um pedaço de pele inflamada e com coceira é tão doloroso quanto parece. Embora seja necessário determinar o tratamento certo, o processo pode ser bastante terrível para pacientes que já sofrem – às vezes, toda essa cutucada e intervenção podem até piorar os sintomas, razão pela qual os pesquisadores da Escola de Medicina Icahn no Monte Sinai esperavam encontrar um uma maneira diferente de diagnosticar pacientes com eczema e psoríase, que não irritaria ainda mais sua pele. Aqui está o que eles encontraram.

Uma nova maneira de diagnosticar doenças inflamatórias da pele

“No passado, as biópsias de tecido da pele sempre foram consideradas o padrão ouro para se distinguir as doenças inflamatórias da pele, mas elas podem causar dor, cicatrizes e aumento do risco de infecção”, afirmou Emma Guttman-Yassky, médica, Ph.D., vice-presidente de dermatologia da Escola de Medicina de Icahn no Monte Sinai em um comunicado à imprensa. Este novo estudo esperava usar tiras de fita adesiva como uma alternativa mais suave – o atrito pode ser um pouco desconfortável para a pele inflamada, sim, mas deve ser muito melhor do que uma biópsia invasiva da pele.

Conforme descrito no Journal of Allergy and Clinical Immunology, os pesquisadores avaliaram tiras de fita de 20 adultos com dermatite atópica (ou eczema), 20 adultos com psoríase e 20 indivíduos saudáveis. Depois de coletar todas as fitas, eles examinaram o DNA de cada grupo de células da pele para verificar se havia algum biomarcador comum em cada doença.

Eis que eles encontraram alguns indicadores: de fato, um único gene chamado óxido de nitreto sintase 2 (NOS2) que poderia diferenciar os dois distúrbios. O eczema e a psoríase, embora sejam ambos condições inflamatórias, exigem tipos ligeiramente diferentes de respostas imunes, e as células da pele também foram capazes de refletir essas características específicas. Apenas observando essas tiras de fita detalhadas, os cientistas foram capazes de diagnosticar cada doença de pele com 100% de precisão – ou seja, as tiras de fita eram eficazes no diagnóstico do distúrbio certo, eczema ou psoríase, todas as vezes.

O que está por vir?

Portanto, essas tiras de fita ainda não são algo concreto, mas Guttman-Yassky e sua equipe esperam que esses resultados gerem novos métodos ou, pelo menos, alguma investigação adicional. Mark Lebwohl, médico, diretor de dermatologia da Escola de Medicina Icahn no Monte Sinai concorda: “Os resultados deste estudo podem ajudar a fornecer uma alternativa útil ao método invasivo das biópsias de pele para rastrear a atividade cutânea em futuros ensaios clínicos”, disse em um comunicado de imprensa. Ou seja, são necessários mais estudos com mais pacientes para garantir que essas tiras sejam tão eficazes quanto suaves.

Independentemente disso, os resultados são promissores. As condições inflamatórias da pele, como eczema e psoríase, já são irritantes (de várias maneiras); se existe uma maneira de diminuir o processo de diagnóstico, certamente estamos aqui para isso.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: mindbodygreen.com 21.07.2020

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros