Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram

Qual é o futuro dos produtos de limpeza para as mãos?

  • Written by:

Enquanto o mundo luta contra o coronavírus (COVID-19) e grande parte dos Estados Unidos está em quarentena, houve um forte aumento na demanda dos consumidores por desinfetantes, sabonetes e produtos de higiene para as mãos.

Nielsen relata que, durante a primeira semana de março de 2020, as vendas de desinfetantes para as mãos aumentaram 470% em comparação com a mesma semana de 2019. Alguns fornecedores dizem que esperam vender o volume típico anual em apenas duas a três semanas durante a pandemia.

Às vezes, o setor de limpeza comercial segue o mercado consumidor, mas nem sempre são exatamente as mesmas tendências que os norteiam. Comparar o que aconteceu com a limpeza para as mãos e as vendas de higienizantes de superfícies durante pandemias passadas pode lançar alguma luz sobre o que esperar, mas, no fundo, esses eventos são um tanto incomparáveis.

 A pandemia do H1N1 impactou os Estados Unidos, de abril de 2009 a agosto de 2010, mas não houve isolamento social, fechamento de escolas, empresas ou economia. Uma vacina para o H1N1 surgiu em setembro de 2009, e o país ainda estava tentando sair da Grande Recessão.

No setor de limpeza comercial, vimos um aumento nas vendas de produtos de higiene e sabonetes para as mãos e desinfetantes de superfície durante o H1N1, mas todos os negócios comerciais de uso final estavam abertos e operacionais durante essa pandemia. Essa é a principal diferença entre a pandemia atual e a anterior – hoje, serviços de alimentação, hospitalidade, educação, viagens, transporte, varejistas não essenciais, edifícios de escritórios, algumas instalações industriais e espaços de lazer estão fechadas durante o COVID-19, e isso pode se estender por um período de vários meses em alguns estados. Outra diferença importante é que o setor de saúde (hospitais, asilos, instalações de vida assistida) e os varejistas essenciais que estão abertos durante o COVID-19 aumentaram a frequência de limpeza em várias vezes ao dia para tentar impedir a propagação do vírus. Isso está acontecendo ao mesmo tempo em que escolas, faculdades, restaurantes, teatros, salas de shows, varejistas não essenciais e outros estão fechados durante esse período, logo, limpando nada ou muito pouco.

Uma coisa é certa, no entanto, é que o cuidado com as mãos e a desinfecção de superfícies são essenciais para combater o COVID-19. A única ferramenta que os consumidores e profissionais de limpeza têm para combater o coronavírus é a lavagem e desinfecção frequente das mãos, além da limpeza frequente de superfícies tocadas com frequência, como maçanetas, corrimões, botões de elevador e carrinhos de compras. Portanto, esses produtos estão prontos para um rápido crescimento entre os profissionais de limpeza em 2020. No entanto, é provável que haja alguma estocagem, e as vendas no início de 2021 desses produtos poderão cair um pouco, pois os usuários finais usarão o estoque extra comprado durante a pandemia. Também é provável que enfrentemos outra recessão à medida que o desemprego e as falências disparem. Portanto, provavelmente haverá alguma suavização no mercado geral de limpeza de zeladoria e saneamento, conforme os usuários finais estreitam seus orçamentos e aumentam a sensibilidade dos preços. No entanto, espera-se que as compras de produtos para cuidados com as mãos e desinfetantes de superfície se saiam bem a longo prazo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Blog FactorKline 03.05.2020

Agradecemos a leitura, compartilhe!

Home

Categorias

Nossos Portais

Parceiros